Qualidade de Vida
Crédito e consumo

Nos últimos anos, pudemos perceber uma grande diferença nos padrões de consumo do brasileiro, que foi influenciado principalmente pela: (a) abertura de nosso mercado para a importação de produtos de outros países, aumentando a variedade e a qualidade do que se pode comprar; (b) estabilidade de nossa moeda, fortalecendo o nosso poder de compra; e (c) enxurrada de crédito oferecido a todos aqueles que querem comprar qualquer coisa, aumentando muito o poder de fogo dos consumidores. Com a combinação desses três itens o brasileiro vem se tornando cada vez mais consumista, e tem procurado cada vez mais traduzir sua (in)satisfação pessoal por meio da compra.

O fim da inflação provocado pela estabilidade da nossa moeda trouxe apenas pontos positivos para todas as pessoas, porém o aumento das possibilidades de consumo (infinitas) e principalmente o aumento da oferta de crédito têm trazido muitos problemas e frustrações para todos. O crédito torna o consumo de quase tudo possível, e ser possível não é obrigatoriamente um bom negócio para o consumidor, e costuma ser sempre um ótimo negócio para o banco.

Comprar algo utilizando crédito nada mais é do que antecipar a compra de algo para o que não se tem recursos financeiros no momento, ou seja, antecipar a aquisição (prazer) e postergar o pagamento (problema), mas uma hora a conta chega. Conta essa que fica mais cara, pois o dinheiro emprestado tem um preço, os juros – que são muito altos no Brasil. 

Sempre que você compra algum produto por meio de parcelas, carnês, cartão de crédito, crédito rotativo, cheque especial ou empréstimo bancário, esta pagando mais caro por isso. Por exemplo: quando alguém compra um apartamento em 30 anos, acaba pagando o preço de 3 ou 4 apartamentos, um para morar e os outros de lucro para os banqueiros.

Tome cuidado com as armadilhas que o crédito oferece, antecipando o seu sonho e deixando você cego em relação aos problemas que podem surgir no futuro! A maior armadilha criada para o consumidor desavisado é a “parcela” que cabe em seu bolso... será que se está se fazendo um bom negócio só porque é possível pagar a parcela? Normalmente não!

O segredo é comprar tudo à vista – se não tem dinheiro agora, é porque ainda não esta na hora de comprar – guarde o dinheiro e compre depois. E se você acredita que o preço em 10 parcelas ou à vista é o mesmo, “aperte” o vendedor e surpreenda-se com o desconto que receberá para pagar no ato. Dê valor para seu trabalho, seus esforços e seu dinheiro.

Marco Gazel Economista

Endereço:
Rua Artur de Azevedo, 147 - Jardim Paulista
São Paulo - SP - CEP 05404-010

Endereço Eletrônico:
contato@associacaoviverbem.org.br
Telefone:
+55 (11) 2307-7805